Quando surge a necessidade de fazer uma cirurgia para tratar um câncer, dentre as preocupações comuns relatadas durante as consultas pré-operatórias é o receio da recuperação pós-procedimento. Para quem opta pela laparoscopia, esse incomodo é quase nulo. O método, adotado pelos médicos do IJP nos casos de câncer no aparelho digestivo, como esôfago, estômago, intestino (cólon e reto) e pâncreas, consiste numa técnica minimamente invasiva realizada por meio de videocirurgia.

Os resultados são iguais ao método convencional, porém o grande diferencial acontece após a cirurgia, pois trata-se de uma intervenção menos agressiva, que oferece diversas vantagens como recuperação mais rápida, menor dor no pós-operatório, menor chance de perda de sangue e transfusão, bem como menor chance de complicações e ferida após o procedimento, como hérnias ou infecções.

Evidências indicam que os efeitos de uma cirurgia feita de forma convencional, ou seja, onde há abertura do local, e cirurgias feitas com o método mini-invasivo obtém os mesmos resultados, porém a segunda opção traz uma recuperação pós-cirúrgica muito melhor com menos trauma para o paciente.

×